ADUPE - Seção Sindical dos Docentes da Universidade de Pernambuco

Audiência promove diálogo entre estudantes e Governo do Estado

25/11/2016

Por: Blog da Folha em 25/11/16 às 20H33, atualizado em 25/11/16 às 20H36

A criação de um fórum permanente de debate entre alunos, professores e reitoria da Universidade de Pernambuco (UPE), a revisão do modelo de financiamento da instituição, a análise do Plano de Assistência Estudantil, produzido pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), em 2013, e a solicitação de que o governador Paulo Câmara (PSB) receba os estudantes foram as deliberações da audiência pública promovida pela Comissão de Educação e Cultura da Alepe. A secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação, Lúcia Melo, o reitor da UPE, Pedro Falcão, a presidente da comissão, deputada Teresa Leitão (PT), e representantes das ocupações estiveram presentes.

Os alunos que estão ocupando as unidades da UPE no Recife, Nazaré da Mata, Garanhuns, Palmares e Petrolina afirmaram que a instituição está “sucateada”, não tem professores e que os contratos com docentes convidados são precários. Eles defendem concurso público para professores e servidores efetivos. Os estudantes reclamam ainda do atual modelo da Bolsa de Permanência, que consiste em uma assistência estudantil no valor de R$ 250, e reivindicam uma política transparente de acesso à bolsa.

A deputada Teresa Leitão recuperou o relatório, produzido, em 2013, acerca da criação de um Plano de Assistência Estudantil que foi apresentado pela Alepe ao Governo do Estado, ainda na gestão anterior. De acordo com a parlamentar, o plano pode ser revisto por deputados e pelos representantes do movimento estudantil para ser atualizado, se for necessário, e novamente proposto ao Poder Executivo. “Cabe ao Governo do Estado analisar o documento e, em concordando, enviar um projeto de lei que contemple esse plano”, explicou.

Atualmente, a Universidade de Pernambuco tem cerca de 18 mil alunos. Entre esses, apenas 187 universitários recebem a Bolsa-Permanência. O campus de Petrolina tem cerca de 2.814 estudantes e apenas 14 têm direito ao auxílio. De acordo com o reitor da UPE, Pedro Falcão, o orçamento da instituição de ensino gira em torno de R$ 25 milhões. Ele disse que a Reitoria apoia o movimento estudantil e o considera legítimo. Ele ressaltou também que várias providências já foram tomadas para a realização de concursos públicos que irão preencher 280 vagas de professores.
Reunião com o governador

Para a secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação, Lúcia Melo, é necessário reconhecer a história e importância da única universidade estadual pública e gratuita.

“Precisamos crescer com qualidade, assumindo as responsabilidades institucionais, mas admitindo que temos uma restrição financeira”, destacou. Ela disse ainda que a UPE tem uma fragilidade na sua infra-estrutura e que isso repercute nos seus indicadores, mas “é preciso melhorar o nível dos cursos oferecidos”.

Além de concursos públicos e de uma política clara da Bolsa de Permanência, os estudantes reivindicam também uma reunião com Paulo Câmara. Eles esperam que o governador atenda às demandas do movimento. A Comissão de Educação e Cultura vai solicitar que o governador receba os estudantes.
 

Arquivos

Rua Arnóbio Marques, 405 - Santo Amaro, - Recife/PE CEP: 50100-130 Fone: (81) 3231-5277
2015 - Adupe - Todos os direitos reservados.